Menu de navegação
Midias Sociais
Informações
Endereço

Travessa da CDL, 221, Centro Ji-Paraná - Rondônia

Email

contato@cdljp-ro.com.br

Telefones

+55 (69) 3421.9772 | 3422.3385

Boomerang - Style Builder

Layout options


Header options


Color options

Red Violet Blue Green Yellow Orange

Special

Black and white Dark Flat

CDL de Ji-Paraná se reúne com MP para realinhar abertura do comércio

A promotora de justiça ouviu atentamente as solicitações da diretoria da entidade e expôs sua opinião.
Data de publicação: 07/04/2020
Original 20200407 083546

 Diante da pandemia do coronavírus e preocupados com os impactos causados ao comércio, a diretoria da CDL de Ji-Paraná esteve em conversa na manhã desta terça-feira (07-04) com a promotora de Justiça Josiane Rossi para realinhar a abertura do comércio. 

 O presidente da CDL, André Moreira, e o diretor Osmar Farinácio apresentaram as demandas dos empresários que estão sendo prejudicados desde o dia 20 de março, com a publicação do Decreto Estadual de Calamidade Pública 24.887. André ressaltou em reunião, que não justifica eles ficarem fechados, pois os seguimentos de confecções, calçados, eletrodomésticos  e outros estabelecimentos pequenos não aglomeram clientes no interior da loja. “Nós convocamos esta reunião para expor nossas dificuldades e sanar dúvidas junto ao MP. 

 A CDL busca uma solução para todos os seguimentos e se compromete na divulgação das medidas de proteção para que os empresários adotem em seus estabelecimentos”, frisou. Para Osmar Farinácio, diretor administrativo, a entidade entende o momento que exige cautela, mas em contrapartida é preciso adotar ações para evitar demissões e até falência de empresas, uma vez que a maioria dos associados da CDL são pequenos e médios segmentos. “Todos os dias recebo inúmeras ligações de empresários preocupados com a economia. Não estão vendendo e nem recebendo. É preocupante, porque a crise não é só este momento. Estes segmentos que estão fechados vão sofrer futuramente por não estarem vendendo atualmente”, enalteceu. 

 A promotora de justiça, Josiane Rossi, ouviu atentamente as solicitações e explicou a decisão do MP que se preocupa com a economia local, mas que leva em consideração a saúde pública que não está preparada para atender quantidades maiores de pessoas infectadas pelo coronavírus. “Compartilho dessa mesma preocupação com vocês em ver alguns segmentos fechados. Mas foi preciso adotarmos esta posição para enfrentarmos este vírus”, frisou.

 A reunião foi produtiva para a classe empresarial que em conjunto com o Ministério Público definiram algumas estratégias de atuação que deverão ser adotadas a partir da próxima segunda-feira (13-04).

PUBLICIDADE

Contatowhats