Menu de navegação
Midias Sociais
Informações
Endereço

Travessa da CDL, 221, Centro Ji-Paraná - Rondônia

Email

contato@cdljp-ro.com.br

Telefones

+55 (69) 3421.9772 | 3422.3385

Boomerang - Style Builder

Layout options


Header options


Color options

Red Violet Blue Green Yellow Orange

Special

Black and white Dark Flat

Empresários comemoram a conquista pela prática de preços diferenciados em um mesmo produto

A reivindicação da classe recebeu o apoio da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas - CNDL
Data de publicação: 28/06/2017
Original whatsapp image 2017 06 28 at 09.26.56


    A lei já está valendo desde a última segunda-feira. A partir de agora, os comerciantes e empresários do ramo de serviços poderão cobrar, para um mesmo produto, preços diferentes conforme o meio de pagamento. A autorização é referente a medida provisória 764, que já estava em vigor desde Dezembro do ano passado e que foi sansionada, em força de lei, pelo presidente Micher Temer.      

    Para o diretor da CDL Osmar Farinácio, a decisão é uma conquista para a classe que há anos vem reivindicando por esta normatização. Segundo Farinácio, a classe empresarial anseia por isso ha mais de 08 anos. "É uma reivindicação antiga nossa que foi apoiada por todo o movimento lojista. Foram várias discussões sobre o assunto para que pudéssemos avançar e estabelecer um preço realmente justo na mercadoria" exaltou.      

    Na prática, a nova lei permite que os comerciantes cobrem um valor para compras à vista e outro para compras a prazo. A intenção, segundo o governo, é que haja mais descontos na praça. Com a nova decisão, o presidente da CDL José Aparecido, disse que a classe não terá que arcar com os encargos das taxas de cartão de crédito, uma vez que para vender, era preciso abrir mão deste custo. "Os descontos vão se tornar comum, uma vez que o produto à vista terá o preço diferenciado daquele que é adquirido por meio de cartão de crédito parcelado" destacou.    

    O diretor da CDL Osmar Farinácio disse que a decisão é um passo importante para os resultados positivos da economia, mais que ainda há outras reivindicações a serem atendidas pela classe, como por exemplo, o fim da taxa do cartão de débito. "Queremos que o cartão de débito seja igual ao cheque, sem taxa para descontar. Quando o cliente paga com o débito não sofre ônus por isso, mas o empresário que o recebe tem um percentual descontado", afirmou ao evidenciar alguns avanços para o setor.

PUBLICIDADE

Original publicidade progete